"Tudo está consumado"

CNPJ: 40.228.629/0001-08

LOCALIZAÇÃO

SEDE GERAL/SETOR RIO

Rua Bela, 795, São Cristóvão
Rio de Janeiro, RJ - CEP 20.930-381

SETOR NITERÓI

Rua Adélia Cintra, 52, Pita

São Gonçalo, RJ - CEP 24.412-550

  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
spotify-podcast-badge-wht-grn-330x80.png

© 2018 por ACVM.

  • ACVM

"Tudo está consumado"

Hoje a Igreja nos convida para a reflexão da cruz, o símbolo da Paixão de Cristo. Mas o que significa a Paixão para nós cristãos?

“Que necessidade havia para que o Filho de Deus sofresse por nós? Uma necessidade grande e, por assim dizer, dupla: para ser remédio contra o pecado e para ser exemplo do que devemos praticar” (São Tomás de Aquino).

Quando contemplamos a cruz, muitas vezes focamos na dor e no sofrimento que Cristo passou durante todo a sua caminhada carregando-a, até que fosse, então, crucificado. Mas, na verdade, Jesus na cruz nos dá não só a salvação para os nossos pecados, mas também o exemplo de como devemos agir em qualquer situação durante a nossa caminhada na terra.

Exemplo de caridade: Jesus se entregou na cruz para que pudéssemos viver livres do pecado e o fez por amor;

Exemplo de paciência: mesmo com todo sofrimento, Jesus suporta todas as dores e xingamentos sem ameaçar ou revidar qualquer um de seus acusadores;

Exemplo de humildade: o Rei dos reis se fez homem, se deixou ser crucificado e deu a vida por nós, não há maior exemplo de humildade se não o da cruz;

Exemplo de obediência: Jesus faz a vontade do Pai até o último dia de Sua vida na terra.

Muitas vezes pode ser difícil contemplar Jesus na cruz e enxergar sua docilidade, seu amor e sua disponibilidade a fazer aquilo que Deus pede a Ele. Mas aí pode morar o exemplo mais significativo da morte de Jesus: a sua entrega a vontade do Pai. “Pai, nas tuas mãos eu entrego o meu Espírito”. Jesus se entregou porque confiava em Deus e em Seu coração existia a certeza de que todo Seu sacrifício era por amor. Amor a cada um de nós, amor sem limites.

"Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena” (Jo 19, 25).

Um detalhe importante durante a Paixão de Cristo é a presença de sua mãe, Maria.

Em nenhum momento Maria foi descrita como desesperada ou com raiva por tudo que Seu Filho passava. Pelo contrário, Maria estava ao lado da cruz. De pé, como quem está pronta para assumir uma missão, cheia de esperança, paz e consolada por Deus, pois Maria, assim como Jesus, também confiava na Palavra e nas promessas de Deus.

Que neste dia tão especial da Semana Santa estejamos atentos ao que o Senhor pede de nós e que, com o mesmo amor que Jesus se entregou na cruz para nos salvar, possamos também exercer esse amor diariamente para com nossos irmãos. Peçamos também a intercessão de Maria sobre nossas vidas, para que possamos estar sempre prontos a dizer nosso “sim” para as missões que Deus envia a cada um de nós.



20 visualizações